Nuno Marques sobre não ter escolhido Pedro Sousa: «Foram as decisões que tomámos e foi o melhor para a equipa»

ESTOCOLMO. SUÉCIA. Portugal falhou o acesso ao play-off do Grupo Mundial, após a derrota por 3-2, no total da eliminatória, frente à Suécia. Nuno Marques, capitão da seleção nacional, falou em exclusivo ao Bola Amarela e era, naturalmente, uma pessoa desapontada.

“Lutámos muito. Há muitos anos que não jogávamos o encontro decisivo. O João esteve muito bem em toda a eliminatória. Eles jogaram bem. O Mikael já tinha ganho na eliminatória anterior o jogo das decisões e esteve muito sólido. O Gastão não fez um grande jogo mas tentámos sempre. Parabéns à Suécia”, comentou.

Sobre o facto de ter escolhido Gastão Elias em detrimento de Pedro Sousa, o técnico confessou-nos que a decisão sempre esteve tomada.  “Depois dos resultados negativos há tendência para se especular. Era a equipa que tínhamos foram as decisões que tomámos e foram as melhores para a equipa”. 

Já com a mente no próximo adversário, a Ucrânia, Marques sabe que vai ser difícil, ainda para mais por ser novamente fora de casa “Vai ser duro. Faltam alguns meses. Eliminatórias fora são sempre complicadas mas temos sempre possibilidades para ganhar. Achava que tínhamos mais possibilidades para ganhar hoje”.

Nuno Marques garantiu ainda que o tempo de Portugal está para chegar, mesmo depois de derrotas cirúrgicas frente à Alemanha e Suécia. “Falta ganhar. Com a Alemanha foi uma eliminatória muito difícil. O João teve match point para igualar o embate a 2-2. Com a Áustria também estivemos muito perto, em que quase ganhávamos os pares. Estamos perto de conseguir mas o nosso tempo vai chegar. Agora o nosso objetivo é a manutenção no Grupo I”.