‘New York Times’ traça o perfil de Ramos, “o árbitro que há algum tempo segue à risca as regras”

O jornal norte-americano ‘New York Times’ tem sido um dos mais ativos na abordagem à polémica que envolveu o português Carlos Ramos e esta segunda-feira, o jornalista Christopher Clarey, que conhece Ramos desde que o português se tornou profissional, traçou o perfil do árbitro.

“O árbitro a quem Serena Williams chamou ‘ladrão’ na final femina do Open dos Estados Unidos, no sábado, tem há algum tempo vindo a seguir à risca as regras com as maiores estrelas do ténis, masculinas ou femininas”, revela o artigo, que relembra ainda a experiência do juiz português, recordando que é o único em atividade que já arbitrou finais masculinas em todos os torneios de Grand Slam (Open da Austrália, Roland Garros, Wimbledon e US Open), além de ter estado na final dos Jogos Olímpicos em 2012, entre Andy Murray e Roger Federer.

Os especialistas citados no artigo dividem as suas opiniões nesta matéria: uns acreditam que Carlos Ramos poderia ter tido outra abordagem menos dura com a jogadora; já outros defendem que o juiz foi “firme mas justo”.