Monfils: «Nunca joguei com tanto calor. Boa sorte para os que vão jogar com 42ºC»

Gael Monfils foi um dos jogadores que mais sofreu na pele a intensidade do calor extremo australiano esta quinta-feira. Com o termómetro a chegar quase aos 40ºC, o gaulês acusou o desgaste no embate diante de Novak Djokovic pouco depois de entrar em court.

No final, as altas temperaturas foram, como não podia deixar de ser, alvo de discussão. “Eu treinei com calor, em Miami, este inverno, estava muito calor, mas digo-vos, hoje eu estava a morrer em court”, disse o gaulês de 31 anos. “Boa sorte para os que vão jogar amanhã com 42ºC. Sejam espertos, se tiverem de desistir não se envergonhem disso”, aconselhou Monfils.

Djokovc, que partilhou o court com Monfils, tendo garantido que o seu lugar ao sol não ficou por ali, foi tão ou mais acutilantes nas palavras. “Foi terrível. Há limites, e a este nível tem de haver tolerância para se encontrar o equilíbrio para não colocarmos a nossa saúde em risco. Hoje, fomos ao limite”.

O sérvio de 31 anos foi ainda mais longe. “O ténis tornou-se numa indústria, como a maioria dos desportos de massa. É mais um negócio do que um desporto. Não gosto disso. Sou grato pelo que me permite ganhar e por todos os aspetos positivos, mas a nossa saúde é mais importante, é o que fica depois da nossa carreira, aos 30, 35 anos”.

O seis vezes campeão do Open da Austráia volta ao court este sábado para defrontar o espanhol Albert Ramos. Resta saber se debaixo do incansável sol de Melbourne, se sob os holofotes da Rod Laver Arena.