Menos um dia de descanso levou Nadal à derrota, aponta Tiger Woods

A final do Open da Austrália entre Roger Federer e Rafael Nadal foi o grande acontecimento desportivo do último fim-de-semana e poucos terão sido os que desviaram as atenções de Melbourne Park. sobretudo aqueles que, como Tiger Woods, têm sangue de desportista a fervilhar-lhe nas veias.

“Não falei com o Roger [Federer]”, disse o golfista de 41 anos ao Tem Golf, admitindo ter trocado impressões com o vice-campeão após o embate. “Troquei mensagens com o Rafa [nadal], e ele estava muito desiludido, obviamente.  Ele jogou com muita garra, e acho que o dia de descanso extra que o Roger teve fez a diferença”.

“A este nível tem muita influência. O Rafa estava um pouco cansado e por isso é que isto aconteceu. Mas é assim que funciona nos quadros dos Grand Slams”, sublinhou Woods, sem não deixar de se mostrar rendido à façanha de Federer.

“O que o Roger tem feito, dominar durante tanto tempo, e principalmente, competir com o [Novak] Djokovic e com o Rafa, e agora também com Andy Murray, e conseguir ganhar numa idade em que ninguém o tinha conseguido antes é impressionante. E depois de ter estado tanto tempo afastado, essa é a parte mais difícil”, acrescentou Woods, destacando ainda a caminhada triunfante das irmãs Williams na Austrália.

“É preciso destacar a forma como os quatro chegaram à final. Federer parecia que estava fora da corrida, o Rafa a lutar contra as lesões, a Serena o mesmo e a Venus a lutar contra a doença autoimune [Sjogren]”, rematou o golfista de 41 anos, campeão de 14 títulos do Grand Slam.