Keys no top10; Mayer de regresso aos cem primeiros

ATP

Tiveram esta semana lugar os dois únicos eventos da categoria ATP 500 em relva, estatuto alcançado desde 2014 para os torneios disputados no Queen’s Club, em Londres, e em Halle, na Alemanha.

Começando pelos Aegon Championships, Andy Murray fez história ao se tornar no primeiro a conquistar aquele que é provavelmente o mais emblemático torneio de preparação para Wimbledon pela quinta vez na carreira. O britânico defendeu, assim, com sucesso o triunfo alcançado na temporada passada – é ainda a primeira vez que o faz -, e mantém-se a mais de oito mil pontos de Novak Djokovic, ao passo que o finalista derrotado, Milos Raonic, sobe do 9º para o 7º posto.

Já no Gerry Weber Open, Florian Mayer surpreendeu tudo e todos ao conquistar a contenda. O experiente tenista alemão, nº18 do mundo há cerca de cinco anos e que até esta mini-temporada temporada de relva só tinha ganho um encontro em quadros principais de torneios ATP (e continua a só ter fechado encontros a seu favor em solo germânico), derrotou o seu compatriota treze anos mais novo Alexander Zverev para elevar o troféu de campeão mais “pesado” da carreira.

Este resultado permite a Mayer protagonizar uma espetacular escalada desde a 192ª para a 80ª posição; de facto, estes quinhentos pontos conquistados representam mais de 70% (!) do seu total no ranking. Já Zverev, “carrasco” de Roger Federer nas meias-finais, estreia-se esta segunda-feira no top30.

1. (1) Novak Djokovic (Sérvia), 16.950 pontos
2. (2) Andy Murray (Grã-Bretanha), 8.915 pontos
3. (3) Roger Federer (Suíça), 6.425 pontos
4. (4) Rafael Nadal (Espanha), 5.335 pontos
5. (5) Stan Wawrinka (Suíça), 5.035 pontos
6. (6) Kei Nishikori (Japão), 4.155 pontos
7. (9) Milos Raonic (Canadá), 3.175 pontos
8. (7) Dominic Thiem (Áustria), 3.175 pontos
9. (8) Tomas Berdych (Rep. Checa), 2.950 pontos
10. (10) Richard Gasquet (França), 2.905 pontos

28. (38) Alexander Zverev (Alemanha), 1.385 pontos
80. (192) Florian Mayer (Alemanha), 696 pontos


WTA

Duas das tenistas apontadas como futuras dominadoras do circuito profissional feminino sagraram-se campeãs no passado fim-de-semana em eventos que não foram particularmente felizes para as tenistas do top10 presentes.

Isto, caso nos refiramos ao ranking da passada segunda-feira. A hierarquia WTA desta semana conta com uma nova integrante no lote das dez melhores, fruto do seu triunfo em Birmingham (que contou, entre outras, com jogadoras como Agnieszka Radwanska, Angelique Kerber, Belinda Bencic, Petra Kvitova e Carla Suárez Navarro). A norte-americana Madison Keys, de 21 anos, sagrou-se campeã na conhecida cidade inglesa e junta-se, assim, às irmãs Williams nas dez primeiras da classificação.

Bastante para Sul, sendo até “necessário” atravessar o mar mais que uma vez, Caroline Garcia tornou-se na primeira detentora do troféu de vencedora do Mallorca Open. A francesa, que completa vinte e três anos em outubro, levou de vencida Anastasija Sevastova na final da competição e assegura, com este triunfo, um “pulo” de sete posições, ao passo que a letã sobe quinze lugares.

1. (1) Serena Williams (EUA), 8.330 pontos
2. (2) Garbiñe Muguruza (Espanha), 6.766 pontos
3. (3) Agnieszka Radwanska (Polónia), 6.080 pontos
4. (4) Angelique Kerber (Alemanha), 5.330 pontos
5. (5) Simona Halep (Roménia), 4.372 pontos
6. (6) Victoria Azarenka (Bielorrússia), 4.191 pontos
7. (7) Roberta Vinci (Itália), 3.405 pontos
8. (8) Belinda Bencic (Suíça), 3.190 pontos
9. (9) Venus Williams (EUA), 3.116 pontos
10. (16) Madison Keys (EUA), 3.061 pontos

32. (39) Caroline Garcia (França), 1585 pontos
67. (82) Anastasija Sevastova (Letónia), 983 pontos


Portugueses

O destaque dos tenistas portugueses nos Emirates ATP Rankings vai para João Domingues, que assegura esta segunda-feira um novo máximo de carreira; os pontos relativos ao seu triunfo num evento Future em Huelva, há duas semanas, foram finalmente adicionados e o oliveirense é agora o 390º melhor tenista da atualidade.

De resto, nota também para a segunda subida consecutiva de onze posições por parte do já retirado Rui Machado, ao passo que Frederico Silva, que estará esta semana a lutar pela entrada no quadro principal de Wimbledon, desce cinco lugares. João Sousa mantém-se no fecho do top30.

30. (30) João Sousa, 1.275 pontos
94. (91) Gastão Elias, 640 pontos
246. (241) Frederico Ferreira Silva, 211 pontos
290. (291) Pedro Sousa, 169 pontos
390. (453) João Domingues, 114 pontos
506. (504) André Gaspar Murta, 71 pontos
512. (513) Gonçalo Oliveira, 68 pontos
723. (727) Fred Gil, 32 pontos
790. (801) Rui Machado, 24 pontos


Portuguesas

Michelle Larcher de Brito, também ela presente na fase de qualificação para o terceiro torneio do Grand Slam da temporada e onde tem inquestionavelmente o seu melhor histórico em torneios da categoria, desce trinta e uma posições na atualização de hoje; a lisboeta havia alcançado a terceira ronda em Birmingham na edição da época passada (onde derrotou Ana Ivanovic para chegar a essa fase da competição) mas este ano, e após ter passado muito tempo lesionada desde então, optou pela presença no ITF de Ilkley, tendo alcançado as meias-finais.

A outra tenista portuguesa a descer é Inês Murta, caindo vinte e seis lugares; Joana Valle Costa e Cláudia Cianci sobem ambas sete postos, ao passo que Maria Palhoto mantém a sua classificação. A antiga número um nacional Maria João Koehler deixou de figurar na hierarquia.

262. (231) Michelle Larcher de Brito, 175 pontos
740. (714) Inês Murta, 22 pontos
881. (888) Joana Valle Costa, 13 pontos
1206. (1213) Cláudia Cianci, 4 pontos
1257. (1257) Maria Palhoto, 3 pontos