Toni Nadal despediu-se dos Grand Slams no US Open e não terá substituto: «Nunca conseguirei agradecer-lhe o suficiente»

Rafael Nadal ainda não parece totalmente convencido, mas Toni já deu a sua palavra: o US Open 2017, ganho pelo sobrinho, foi o último consigo na equipa técnica e no camarote. O elemento porventura mais relevante da carreira de Rafa vai deixa de viajar com o sobrinho de 31 anos a partir de 2018 e o maiorquino não se esquece na importância que o tio tem na sua vida.

“É uma das pessoas mais importantes da minha vida, da minha carreira, e nunca poderei agradecer-lhe suficientemente o que fez por mim. O Toni vai dar mais atenção à nossa Academia e isso será muito bom para as crianças”, lembrou o número um do Mundo.

Nadal desdramatiza e lembra que tem mais dois treinadores – Carlos Moya e Francisc Roig – pelo que não irá contratar ninguém. “Tenho três treinadores atualmente. Sem o Toni são dois. O meu tio deixará de estar comigo diariamente mas tenho outros dois técnicos para isso. Vamos ver se preciso de mais alguém, mas acho que dentro da Academia tenho muita gente para me ajudar”.

Sobre o autor
- Artigo escrito ou editado pela equipa de redação.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *