Sloane Stephens consegue feito raríssimo na história do US Open

Atualmente na 83.ª posição da hierarquia mundial, poucos eram aqueles que tinham Sloane Stephens na lista de possíveis campeã do Open dos Estados Unidos. A jovem de 24 anos juntou-se à lista de honra de torneios do Grand Slam e, depois desta noite, conseguiu um feito que até então só tinha sido alcançado por Kim Clijsters desde 1968, no início da Era Open: vencer o US Open sem fazer parte do lote de 32 cabeças-de-série.

A jogadora belga tinha-se tornado na primeira campeã do US Open a não ser cabeça-de-série quando em 2009, cerca de um ano e meio depois do nascimento da sua primeiro filha e mais de dois anos depois da sua primeira retirada do ténis, ao vencer o torneio na final frente a Caroline Wozniacki, quando sem sequer estava entre as 950 primeiras do mundo. Na noite deste sábado, foi a vez de Sloane Stephens se juntar à lista.

Esta foi também a primeira vez desde 2014 que a temporada feminina tem quatro campeãs diferentes nos torneios do Grand Slam, terminando como começou: uma norte-americana com o título nas mãos, depois da vitória de Serena Williams no Open da Austrália, quando já carregava o seu primeiro filho na barriga. Jelena Ostapenko venceu Roland Garros e já o troféu de Wimbledon foi parar ao palmarés de Garbiñe Muguruza.

Sobre o autor
- Licenciado em Jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social, em Lisboa. Jornalista da GQ Portugal e colaborador do Bola Amarela desde novembro de 2011, pouco tempo depois de começar a seguir mais atentamente o mundo do ténis. Pretende nunca mais parar.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *