Obras de Roland Garros param… três dias depois do recomeço

Um filme que se repete. Três dias depois do início das obras de ampliação de Roland Garros, que incluem um terceiro court com capacidade para 5000 espectadores e uma alteração quase total ao Philippe Chatrier, com a inclusão de um teto amovível em 2020, um tribunal francês… voltou a mandar parar tudo.

Na terça-feira, o Conselho de Estado francês reverteu a decisão que havia bloqueado as obras de Roland Garros em março, mas agora foi a fez do Alto Tribunal de Paris voltar a mandar para tudo, com o argumento de que não é claro que seja possível destruir parte do jardim botânico de Serres d’Auteuil, um dos marcos daquela zona da cidade, construído no século XIX.

Recorde-se que Roland Garros é o único torneio do Grand Slam sem qualquer teto amovível. O Australian Open tem dois, Wimbledon e US Open um, mas passarão a ter um segundo em breve.

Sobre o autor
- Artigo escrito ou editado pela equipa de redação.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *