Kevin Anderson quer voltar às finais do Grand Slam: «Vou continuar a trabalhar para ter mais oportunidades como esta»

Depois de ter disputado aquela que foi a sua primeira final de torneios do Grand Slam na carreira, Kevin Anderson mostrou ser um verdadeiro senhor em court durante a cerimónia de entrega de troféus. O jogador sul-africano fez os devidos agradecimentos, congratulou Rafael Nadal pela sua incrível prestação no encontro de hoje e referiu que há muitos pontos positivos a colher deste torneio, optando por se focar neles em vez de pensar na final que tinha acabado de perder.

Sobre a prestação do número um do mundo na final:

“Há umas coisas que eu gostaria de dizer. Primeiro dar os parabéns ao Rafa, nós temos a mesma idade mas sinto que tenho acompanhado durante toda a minha vida. É muito difícil jogar contra ti e provaste esta noite que és um dos grandes embaixadores do ténis, por isso muitos parabéns”.

Os devidos agradecimentos ocuparam a maior parte do seu momento de discurso, incluindo, claro está, uma menção devida a ‘Charlie’, nome por que trata o fisioterapeuta Carlos Costa, de nacionalidade portuguesa:

“Foram duas semanas incríveis para mim. A competição estava tão forte, e regressar e fazer a minha primeira final do Grand Slam tornaram estas duas semanas mesmo especiais. Queria agradecer a algumas pessoas, como à USTA, por todo o esforço que têm com este evento. Queria também fazer menção à minha equipa, muito obrigado a todos por todo o vosso apoio, e também a todos os que me apoiaram durante estas duas semanas.Vocês são incríveis e muito obrigado!

Queria também agradecer pelo apoio que tive da África do Sul, e por último a minha família: à minha mulher, ao meu irmão e, por fim e um agradecimento muito especial, aos meus pais. Se não fossem eles eu não estaria aqui”

Apesar de não ter conseguido colocar a cereja no topo do bola, Kevin Anderson confessou estar satisfeito com as duas últimas semanas e promete continuar no caminho certo para repetir a experiência:

“Há muitos pontos positivos que posso tirar de chegar à minha primeira final do Grand Slam. Tive de lidar com muitas emoções ao longo da semana e hoje claramente que foi um encontro muito difícil para mim, com um adversário que até é bom (risos). Vou continuar a trabalhar para ter mais oportunidades como esta e tirar o que estas duas semanas tiveram para me oferecer”

Na atualização de rankings desta segunda-feira, o jogador de 31 anos, que recebeu um cheque de 1,8 milhões de dólares, vai figurar na 15.ª posição, a sua melhor dos últimos 18 meses.

 

Sobre o autor
-

Licenciado em Jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social, em Lisboa. Jornalista da GQ Portugal e colaborador do Bola Amarela desde novembro de 2011, pouco tempo depois de começar a seguir mais atentamente o mundo do ténis. Pretende nunca mais parar.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *