Federer: «Não teria tido qualquer hipótese contra o Nadal no domingo»

Roger Federer já treina na relva de Estugarda, na Alemanha, mas foi sem grandes cerimónias que se dispôs a sujar os ténis de terra para falar da badalada e incrível façanha de Rafael Nadal em Roland Garros. O suíço de 35 anos admite que teria sido, também ele, ‘carne para canhão’ nas mãos do maiorquino, que derrotou em parciais diretos Stan Wawrinka antes de levantar a décima Taça dos Mosqueteiros da carreira.

“Não teria tido qualquer hipótese contra o Nadal no domingo”, disse Federer aos jornalistas presentes no torneio germânico, que arrancou esta segunda-feira. “Já tinha dito antes que ele iria arrasar na temporada de terra batida. É impressionante o que ele fez em Paris”, acrescentou o helvético, relembrando que “ainda há muita temporada pela frente”, quando questionado sobre a luta pelo número um do ranking mundial.

Ter Nadal de regresso à conquista dos grandes títulos não altera em nada os planos do campeão do Open da Austrália. “Wimbledon é minha principal meta da temporada, já o era desde o início do ano. A vitória de Rafa em Paris não muda isso. Claro que não é o ideal para mim vê-lo chegar embalado”, confessa.

Sobre o autor
-

Descobriu o que era isto das raquetes apenas na adolescência, mas a química foi tanta que a paixão se mantém assolapada até hoje. Pelo meio ficou uma licenciatura em Jornalismo na Escola Superior de Educação de Viseu e um Secundário dignamente enriquecido por cadernos cujas capas ostentavam recortes de jornais de Lleyton Hewitt. Entretanto ganhou (algum) juízo, um inexplicável fascínio por esquerdas paralelas a duas mãos e um lugar no Bola Amarela. A escrever por aqui desde dezembro de 2013.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *