Federer confessa ter-se sentido aliviado quando perdeu no US Open

Sem se ter alongado muito sobre o assunto durante o torneio, Roger Federer não escondeu que as suas costas não estavam de boa saúde durante o Open dos Estados. Antes disso, já o suíço de 36 anos se vira obrigado a desistir do Masters 1000 de Cincinnati, nos EUA, chegando-se mesmo a questionar a sua presença no Grand Slam nova-iorquino.

Agora, já recuperado, o que ficou provado durante a Laver Cup, no fim-de-semana passado, o suíço de 36 anos admitiu ter-se sentido aliviado quando pôde, enfim, descansar, após a derrota para Juan Martin del Potro, nos quartos-de-final.

“As costas atrapalharam-se em Montréal e, depois, a dor persistiu”, confessou Federer ao jornal suíço “Blick”. “Depois do meu último encontro em Nova Iorque fiquei feliz por tudo ter terminado. Uma semana de descanso depois 90 por cento dos problemas já tinham desaparecido”, acrescentou, o recordista de títulos do Grand Slam, revelando que jogou a Laver Cup sem dores.

Para o que se segue, Federer não tem grandes planos, frisando que a luta pelo número um não é uma prioridade. “Os meus objetivos para a recta final da temporada não dependem do número um, é secundário, até porque o Nadal tem uma grande vantagem sobre mim (quase 2000 pontos). Vou concentrar-se no meu ritmo e só jogarei quando estiver bem”, assegurou.

Federer admitiu, inclusive, a possibilidade de falhar torneios nesta recta final de temporada, caso não se sinta a cem por cento. Vai viajar para Xangai, na China, e afirma que o ATP 500 de Basileia, no seu país, é prioritário em relação ao Masters 1000 de Paris.

Sobre o autor
-

Artigo escrito ou editado pela equipa de redação.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *