Grand Slams com apenas 16 cabeças-de-série? Pode voltar a acontecer em breve e Federer já comentou

As ATP NextGen Finals abriram um precedente em termos de novas regras que promete dar muito que falar nos próximos tempos, mas os testes que estão a ser feitos em Milão não são os únicos que poderão originar alterações no circuito nos próximos tempos.

Uma das medidas que poderá ser implementada nos próximos tempos e que está a ser consolidada para ser votada em breve, é a de regressar ao modelo de 16 cabeças-de-série nos torneios do Grand Slam, ao contrário dos atuais 32, que vigoram desde 2001.

A medida pretende aumentar a imprevisibilidade nas primeiras rondas dos torneios do Grand Slam e impedir que a primeira semana desses eventos seja pouco competitiva, como tem acontecido várias vezes nos últimos anos. Roger Federer compreende a ideia. “É interessante ter apenas 16 cabeças-de-série. Consigo perceber qual é o problema dos 32 cabeças-de-série”, confessou o helvético, mostrando-se aberto à mudança.

De todas as regras que estão em vigor em Milão, há duas que deverão avançar nos próximos anos: o cronómetro a marcar os 25 segundos de limite entre os pontos e ainda a possibilidade de os treinadores falarem com os seus jogadores entre sets.