Dimitrov ainda manda mensagens ao treinador às 3h da manhã por causa da derrota contra Nadal

Será difícil esquecer os parciais de 6-3, 5-7, 7-6, 6-7 e 6-4 para Grigor Dimitrov: são os parciais com que perdeu o encontro das meias-finais para Rafael Nadal no Open da Austrália. Tão perto de uma final do Grand Slam pela primeira vez na carreira, as aspirações do búlgaro caíram por terra num encontro equilibrado, e que caiu para o lado do maiorquino. Passadas algumas semanas, como é que Dimitrov está a lidar com a derrota? Com dificuldade, especialmente à noite.

A confissão foi feita pelo próprio em Roterdão, onde se disputa esta semana o primeiro ATP 500 da temporada. Dimitrov foi questionado sobre a derrota no torneio australiano e não escondeu que, embora tivesse aprendido bastante, ainda se questiona sobre aquilo que poderia ter feito de diferente para que o resultado fosse outro:

“O encontro que perdi? Ainda me persegue à noite por vezes, não vou mentir. Foi um encontro duro, mas sei que aprendi muito com aquilo. Assisti a repetição muitas vezes e muitas dessas vezes me perguntei o que poderia ter feito de diferente, e reparo que não poderia ter feito nada.

Por vezes envio mensagens ao meu treinador no meio da noite a ver a repetição e pergunto-lhe se poderia ter feito melhor, e ele diz-me “O que estás a fazer?! Volta a dormir, são três da manhã!”. E então eu digo que poderia ter batido aquela direita em inside out…

 

Sobre o autor
- Licenciado em Jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social, em Lisboa. Jornalista da GQ Portugal e colaborador do Bola Amarela desde novembro de 2011, pouco tempo depois de começar a seguir mais atentamente o mundo do ténis. Pretende nunca mais parar.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *