Federer não quer volta a ser pai até se retirar

Poucas dúvidas haverá de que Roger Federer é um bom chefe de família, mas, para, o suíço de 36 anos, mais filhos só para mais tarde. Para já, o pai de dois pares de gémeos – Myla e Charlene, de nove anos, e Leo e Lenny, de quatro – não pensa em aumentar a família.

“Esse assunto não está fora de questão, mas não o colocamos em cima da mesa até terminar a carreira”, disse Federer em declarações ao Coopzeitung. “Quando é que a minha jornada no ATP termina? Nem eu sei. Também por isso é que as coisas continuam tão boas. Sentimo-nos felizes e descontraídos. Adoramos o tempo que passamos com os miúdos”.

Uma das grandes motivações encontradas pelo recordista de títulos do Grand Slam são os seus filhos mais novos, que ainda não terão idade para reter as aventuras vividas pelo pai no circuito. “Eles sabem que eu jogo muito ténis, mas não sei se eles saberão o que isso significa. Não sabem qual é o meu ranking ou o que é que estou a tentar fazer”, continuou.

“Sabem que há um troféu em jogo, porque ficam muito entusiasmados com as taças. Serão precisos mais alguns anos para eles se conseguirem lembrar. As raparigas vão sempre lembrar-se destes momentos, mas quanto aos rapazes não tenho a certeza”, concluiu.