Federer insiste: «Neste momento dói-me o corpo, mas se estive seis meses fora é porque quero jogar mais um par de anos»

Roger Federer está empenhado em terminar rapidamente com a ideia de que pode ter decidido acelerar o fim da sua carreira após a conquista do tão desejado 18.º título do Grand Slam, no Australian Open 2017. O suíço, de 35 anos, garante estar totalmente focado no que aí vem e o objetivo é jogar até ao final de 2018, pelo menos…

“Neste momento dói-me o corpo em vários sítios, mas depois de uns dias de descanso voltarei aos treinos para preparar o torneio do Dubai. Quero voltar à Austrália para o ano, esse é o plano. Se parei durante seis meses foi com o objetivo de poder jogar a bom nível mais um ou dois anos, pelo menos”, reiterou o suíço.

Roland Garros, que teve de falhar em 2016, está nos planos. “Não há razão nenhuma para falhar Roland Garros, até porque agora há uma semana extra de relva para preparar Wimbledon. Preciso de estar saudável e gerir o meu calendário de torneios com muito cuidado”, assumiu.