Federer dá razão a Verdasco: «Acho que o court está particularmente rápido»

Roger Federer venceu nesta madrugada Noah Rubin pelos parciais de 7-5, 6-3 e 7-6(3) e avançou para a terceira ronda do Australian Open. O suíço, em conferência de imprensa, comentou alguns dos principais assuntos que marcam o circuito, nomeadamente, as recentes declarações do espanhol Fernando Verdasco, que deixou duras críticas ao court da Rod Laver Arena.

Questionado para dar a sua opinião, o tenista helvético compreendeu a opinião de Verdasco. “Acho que o court está particularmente rápido. Vi algumas pancadas em que pareciam boas e com bom tempo de resposta e outras em que me apanhavam de surpresa. Acho que isso acontece devido às condições rápidas. Percebo o que o Verdasco diz. Não acho que seja do campo em si, mas sim do efeito que a bola tem e é por isso que é difícil de se jogar ali”. Referiu o suíço.

Em relação ao seu encontro, Federer mostrou-se satisfeito por não ter cedido qualquer set. “O melhor cenário possível é vencer em sets diretos e hoje fui capaz de fazer isso. Tive que salvar set-points e sei que o encontro podia ter sido diferente, por isso, estou feliz.” Quanto ao seu nível de jogo, o ex-número 1 mundial, reconhece que existiram melhorias: “Fui um pouco mais consistente do que na primeira ronda, estive mais concentrado. Esperava ter mais chances no serviço dele. Fiquei surpreendido com a velocidade do serviço dele mas também servi muito bem. Nestas condições rápidas o principal é servir bem e hoje fiz isso”. 

Federer, aproveitou ainda, para fazer uma antevisão do embate frente a Berdych, admitindo que tem de subir o nível. “Sei que tenho de subir um pouco o meu nível. Sinceramente, não tenho visto o Tomas jogar e ele estava a jogar ao mesmo tempo que eu agora. Preciso de estar focado no meu serviço e não ter lapsos”. 

Federer e Berdych medem forças esta sexta-feira, sendo que o suíço lidera o confronto direto, com uma vantagem de 16-6. A última vez que se defrontaram foi precisamente na última edição do Australian Open, nos quartos de final, com o triunfo a sorrir para o lado de Federer.