Gilles Muller admite: «O Pablo dificultou bastante o meu trabalho»

Não deu. Gilles Muller não conseguiu repetir o feito realizado em Janeiro, em Sydney, e viu Pablo Carreno Busta levantar o troféu de campeão do Millennium Estoril Open 2017.

Após o encontro, em conferência de imprensa, Muller confessou que gostava que a sua exibição tivesse sido melhor no primeiro parcial: “Acho que a minha exibição no segundo set foi boa, e no primeiro parcial tive alguma dificuldade em entrar no jogo. O Pablo também dificultou bastante o meu trabalho, ele não falhou muitas bolas e meteu sempre muita pressão. Foi um primeiro set muito duro, mas depois acho que lutei bastante e no tie-break nunca se sabe, são sempre um ou dois pontos que fazem a diferença, e acabou por não cair para o meu lado.”

Muller revelou que tentou fazer um jogo agressivo, o que fez com que fizesse mais erros: “O Pablo estava a jogar muito profundo, e quase numa zona perfeita em terra batida. Não estava a bater com muita força no início mas a jogar longo e profundo, e por isso é muito difícil ser agressivo. Talvez eu tenha estado a tentar ser demasiado agressivo, e a bater forte na bola, e por isso fiz muitos erros no início do encontro, mas acho que no segundo set fui mais paciente.”

Gilles Muller segue agora para Madrid, onde vai disputar o Masters 1000. Em singulares, Muller vai enfrentar Benoit Paire na primeira ronda, e em pares o luxemburguês vai defrontar João Sousa e Lucas Pouille, ao lado de Gilles Simon.

 

Sobre o autor
-

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *