Concluída a primeira edição do Millennium Estoril Open, o diretor do torneio João Zilhão fez o balanço final da competição, que teve como vencedor o francês Richard Gasquet, ex-top 10 mundial e atual 28.º da classificação. Em declarações aos jornalistas, Zilhão mostrou-se satisfeito com o resultado final.

“A organização está muito contente de termos conseguido manter vivo o torneio ATP em Portugal. Acho que era o principal objetivo que nós tínhamos, era conseguir que Portugal continuasse a ter um torneio ATP. E para além disso, queríamos organizá-lo de uma forma que fosse prestigiante para o país. Queríamos não só que não se perdesse o torneio ATP no nosso pais mas também que dignificássemos o país e fazer o torneio com muita qualidade e dignidade”, começou por dizer o diretor.

“Estamos muito contentes, pelo feedback que recebemos dos nossos sponsors, dos jogadores, da ATP, estão contentes com este novo conceito. Resultou bem. Há muita coisa que pode ser melhorada. Até do ponto de vista funcional houve coisas que foram demasiado exigentes na equipa este ano. Houve pessoas a trabalhar demasiado”, afirmou Zilhão.

Melhorias

“O que nós achamos que pode ser melhorado e as críticas que tivemos foi o estacionamento do público em geral. Para o publico em geral, e para a afluência que tivemos, que até foi bastante boa, não havia parques suficientes aqui à volta e por isso tivemos que encontrar soluções no autódromo”.

Feedback do ATP World Tour

“Excecional [feedback da ATP]. Tivemos ontem e hoje a ver os relatórios das várias áreas e é muito bom, estamos muito contentes. Sem dúvida que é para continuar. Temos já todo o apoio do Millennium BCP e da Câmara de Cascais, os nossos dois principais sponsors, que estão muito contentes com o que foi feito”.

Contatos para o próximo ano

“Vou já começar a tratar dos jogadores este ano, por altura de Roland Garros começo a reunir com agentes para garantir bons nomes para o torneio e garantir um quadro competitivo e muito bom. Os tenistas vão levar um bom feedback para Madrid, o que é bom”.

Torneio feminino em 2016?

“Não é evidente conseguir meter aqui um torneio feminino. É preciso courts de treino, courts de jogo, mais espaço de players lounge, mais infraestruturas, o que não é evidente. Não ponho fora de questão que sejam feitos mais courts, há terrenos à venda, há projetos para aumentar este complexo, portanto se eu tiver mais campos e mais infraestruturas não digo que não, mas é algo que não posso comprometer agora”.

Richard Gasquet como vencedor da primeira edição

“Estamos muito contentes, é um nome muito consagrado do ténis, tem 12 vitórias ATP, foi número sete do mundo, esteve lesionado, mas para mim tem do ténis mais bonito que há, uma das esquerdas a uma mão mais bonitas – ele e o Wawrinka. É um grande jogador, é um gentleman, e gosto muito de o ter no quadro de honra como primeiro vencedor do Millennium Estoril Open”.

Sobre o autor
- Licenciado em Ciências da Comunicação - vertente de Jornalismo - pela Universidade Autónoma de Lisboa. Ténis é a minha vida. Colaborador do site Bola Amarela desde Dezembro de 2011.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *