Em dia de maratonas, um menino britânico de 16 anos ganhou o mais longo encontro de juniores da história de Wimbledon

Pela primeira vez desde 2011, a Grã Bretanha vai ter um jogador a disputar a final de juniores masculinos no próximo domingo. Trata-se de Jack Draper, um menino nascido em Sutton, em dezembro de 2001, com apenas 16 anos, que esta sexta-feira sobreviveu ao encontro mais longo da história do torneio de sub-18 de Wimbledon e um dos encontros mais longo de que há memória num escalão juvenil.

Draper, que ocupa o ainda modesto 41.º posto do ranking mundial de juniores, derrotou nas meias-finais o colombiano Nicolas Mejia, número seis mundial, por 7-6(5), 6-7(6) e 19-17, em 4h26 minutos, para marcar duelo na final com o prodígio do Taipé Chun Tseng, recentemente campeão de Roland Garros juniores e ainda do Future de Póvoa de Varzim, igualmente com apenas 16 anos.

Draper precisou de 10 match points para vencer e no final admitiu ter duvidado em alguns momentos. “Foi uma tortura perder tantas oportunidades. Nada pode preparar um júnior para passar por aquilo que passámos hoje no court. É um encontro que jamais esquecerei.”