Djokovic destacado na liderança; Wozniacki no top5

ATP

Com o final do Open da Austrália, muitas são as alterações a terem lugar nas hierarquias mundiais. Começando pelo topo, o quarto triunfo em cinco anos de Novak Djokovic no Open da Austrália fá-lo ultrapassar hoje a fasquia dos 13 mil pontos no ranking – o que o coloca com uma vantagem de quase quatro mil sobre Roger Federer. Apesar da derrota precoce em Melbourne, o suíço está confortavelmente na vice-liderança, com 3,5 mil pontos de vantagem sobre Rafael Nadal; de facto, a diferença entre o terceiro e o sexto posto é neste momento de menos de mil pontos.

Ainda no top10, Stan Wawrinka é o protagonista da maior descida no top10. O vencedor da edição do ano passado do Happy Slam ficou-se pelas meias-finais este ano, e cai assim do quinto para o nono posto. Já Milos Raonic, quarto-finalista na semana passada, alcança novo máximo de carreira, ao escalar para a sexta posição.

Fora do lote dos dez melhores, os destaques são duas das novas coqueluches ‘aussies’. Nick Kyrgios e Bernard Tomic sobem esta semana dezoito posições cada um, e no caso do tenista com ascendência grega, para um novo máximo de carreira simultaneamente.

1. (1) Novak Djokovic (Sérvia), 13.045 pontos
2. (2) Roger Federer (Suíça), 9.245 pontos
3. (3) Rafael Nadal (Espanha), 5.745 pontos
4. (6) Andy Murray (Grã-Bretanha), 5.515 pontos
5. (5) Kei Nishikori (Japão), 5.205 pontos
6. (8) Milos Raonic (Canadá), 4.845 pontos
7. (7) Tomas Berdych (Rep. Checa), 4.660 pontos
8. (9) Marin Cilic (Croácia), 4.105 pontos
9. (5) Stan Wawrinka (Suíça), 4.090 pontos
10. (10) David Ferrer (Espanha), 3.965 pontos

35. (53) Nick Kyrgios (Austrália), 1.145 pontos
48. (66) Bernard Tomic (Austrália), 907 pontos


WTA

Nas senhoras, Serena Williams voltou a derrotar Maria Sharapova, voltou a ganhar um torneio do Grand Slam e portanto volta a aparecer como número um mundial nesta segunda-feira (caso a vitória tivesse sorrido à Sereia da Sibéria, seria ela a nova número um mundial). O top4, de resto, mantém-se inalterado e com uma diferença considerável de Petra Kvitova para o resto das tenistas.

De facto, a número um checa tem quase dois mil pontos de vantagem para a número cinco mundial, que é agora a dinamarquesa Caroline Wozniacki. A antiga número um mundial caiu na segunda ronda para a antiga bicampeã Victoria Azarenka – que está às portas de sair do top50 esta semana — mas, fruto de prestações menos boas de outras tenistas do top10 (caso de Ana Ivanovic, que caiu na ronda inaugural e desce hoje para o sexto posto), figura esta semana no seu melhor ranking em quase três anos. Ainda no top10, nota para a reentrada de Ekaterina Makarova, que com o seu nono lugar garante novo máximo de carreira.

De resto, destaque para as norte-americanas Venus Williams e Madison Keys. A primeira foi eliminada nos quartos-de-final pela segunda, que caiu no encontro seguinte para a futura campeã Serena Williams (“vingando”, assim, a irmã); com esses resultados, Venus está agora às portas de voltar ao lote das dez melhores, enquanto a fã das irmãs Williams se estreia no top20. Quanto a descidas, a finalista de 2014 Dominika Cibulkova não conseguiu repetir a prestação (apesar de quartos-de-final ser sempre um bom resultado) e cai desde o 10º para o 18º.

1. (1) Serena Williams (EUA), 9.776 pontos
2. (2) Maria Sharapova (Rússia), 8.210 pontos
3. (3) Simona Halep (Roménia), 6.571 pontos
4. (4) Petra Kvitova (Rep. Checa), 6.480 pontos
5. (8) Caroline Wozniacki (Dinamarca), 4.565 pontos
6. (5) Ana Ivanovic (Sérvia), 4.425 pontos
7. (7) Eugenie Bouchard (Canadá), 4.365 pontos
8. (6) Agnieszka Radwanska (Polónia), 4.270 pontos
9. (11) Ekaterina Makarova (Rússia), 3.285 pontos
10. (9) Angelique Kerber (Alemanha), 3.130 pontos

11. (18) Venus Williams (EUA), 2.790 pontos
18. (10) Dominika Cibulkova (Eslováquia), 2.137 pontos
20. (35) Madison Keys (EUA), 2.100 pontos
49. (44) Victoria Azarenka (Bielorrússia), 998 pontos


Portugueses

Foi uma boa campanha para o número um nacional João Sousa. O tenista vimaranense alcançou a terceira ronda do torneio pela primeira vez na carreira (igualando o feito de Frederico Gil em 2012), e regressa esta semana ao top50. Já Gastão Elias, com a sua final no Challenger de Bucaramanga, sobe hoje dezassete posições.

49. (55) João Sousa, 902 pontos
126. (143) Gastão Elias, 426 pontos
278. (277) Rui Machado, 172 pontos
279. (286) Frederico Ferreira Silva, 171 pontos
567. (567) João Domingues, 56 pontos
629. (631) Frederico Gil, 44 pontos
651. (651) Romain Barbosa, 41 pontos
652. (652) Vasco Mensurado, 41 pontos
724. (709) André Gaspar Murta, 31 pontos
776. (772) Gonçalo Oliveira, 26 pontos
779. (742) Leonardo Tavares, 25 pontos


Portuguesas

Pouco a relatar quanto às “nossas” tenistas. Bárbara Luz está de regresso ao top500 e Maria João Koehler desce nove posições, com Michelle Larcher de Brito a se manter como número um nacional.

120. (120) Michelle Larcher de Brito, 456 pontos
500. (503) Bárbara Luz, 50 pontos
689. (680) Maria João Koehler, 23 pontos
812. (812) Inês Murta, 15 pontos