Dimitrov: «O melhor de mim ainda está para vir…»

A temporada de 2017 está a ser a melhor da carreira de Grigor Dimitrov. O búlgaro, uma das principais esperanças do ténis mundial, está finalmente a corresponder às expectativas que lhe foram colocadas e o futuro pode agora ser encarado com esperança. Quem o diz, é o próprio Dimitrov.
Num entrevista à Sports360, o tenista de 26 anos falou sobre aquilo que mudou. “Tive que lutar contra os meus demónios até encontrar o caminho adequado. Creio que crescer significa isso, superar momentos difíceis. Em todo o caso, não quero olhar para o passado”comentou, admitindo que o seu treinador, Daniel Vallverdú, tem uma grande importância na sua excelente época.
Tem uma grande responsabilidade no meu grande ano. Chegou à minha vida num momento crucial. Estava a aprender muito de mim mesmo mas ajudou-me a ser mais otimista, a apreciar mais as coisas e valorizar cada encontro como uma oportunidade para competir a 100%. Contribuiu para ser de novo feliz a jogar ténis”, confessou, analisando os aspetos em que tem vindo a melhorar.
“Sou um jogador muito mais disciplinado, no aspeto mental e físico, desde os treinos a nutrição. Estou muito mais centrado e vou ponto a ponto, sem olhar para o ranking. Sinto que estar aqui em Londres é o objetivo que tenho desde há anos e que é aqui onde devo estar”,  concluiu o número 6 mundial.
De recordar que Grigor Dimitrov está nas meias-finais das ATP World Tour Finals e vai lutar por um lugar na final frente ao belga David Goffin.