Del Potro: «Ser número um é difícil porque o Nadal, Federer e Djokovic continuam lá em cima»

Depois da final alcançada no Open dos Estados Unidos, é tempo de Juan Martin Del Potro descansar e recuperar energias para a última fase da temporada, que se avizinha intensa e com bons resultados em perspetiva.

O argentino, em entrevista ao jornal Olé, admitiu que já não se sente tão desanimado após o desaire para Novak Djokovic“Agora não estou tão triste, a amargura está a ir embora. Estou contente por voltar à Argentina, de poder ver a família, os meus amigos e desfrutar um pouco de tudo o que consegui em Nova Iorque”, admitiu a Torre de Tandil.

Atualmente na quarta posição do ranking ATP, Del Potro volta a sublinhar que o topo ainda está longe. “Não mudo o discurso porque continuam o Nadal, Federer e Djokovic lá em cima. Estou nesse pelotão, fazer parte deste grupo é incrível. Não sei quanto mais acima poderei estar. A minha posição no ranking é um privilégio. O ténis vai-me pôr no lugar que mereço e vou estar sempre satisfeito”, frisou o tenista de 29 anos.