Del Potro animado com estreia no Estoril: «É um jogo bastante rápido para terra, e eu gosto»

Já lá vão cinco anos desde que Juan Martin del Potro se sagrou bicampeão em Portugal, ainda no Jamor. Desde então, o argentino de 28 anos não voltou a território nacional, mas provou esta terça-feira que não perdeu o jeito de arrecadar vitórias com os pés bem assentes na nossa terra.

“Senti-me melhor do que esperava”, começou por confessar o “bom gigante” aos jornalistas presentes no Estoril depois da vitória sobre o japonês Yuichi Sugita. “Foi um bom embate, servi bem em todo o encontro. A direita esteve forte, consegui fazer muitos winners”, acrescentou o 33.º mundial, que não tinha jogado ainda qualquer encontro no pó-de-tijolo este ano.

Da estreia não há razões de queixa, mas isso não impede que não haja espaço para melhorias. “Posso sempre melhorar a minha esquerda, que é um ponto fraco do meu jogo. Hoje usei muito o meu slice, e nesta superfície o slice não é muito eficiente. Mas encontro a encontro vou melhorando automaticamente e vou começar a servir melhor, que é importante para o meu jogo”.


O torneio é muito bom, o hotel é ótimo, a comida é deliciosa


Sobre o torneio, “a Torre de Tandil”, que só sabia até agora o que era jogar no Jamor, tem muito a dizer. E só coisas boas. “O court é mais pequeno, as pessoas estão mais perto dos espetadores, aproveitam mais, e são muito respeitadores. As condições são boas, é um jogo bastante rápido para terra, e eu gosto. Sinto-me muito confortável em Portugal. O torneio é muito bom, o hotel é ótimo, a comida é muito deliciosa”, destacou.

Na segunda, Del Potro vai defrontar Ryan Harrison. “Treinei com ele há dois ou três dias e foi um treino duro. É um adversário perigoso, tenho que melhorar mais o meu jogo para ter hipóteses de ganhar”, concluiu.