Roger Federer: «Poderia ter feito melhor em vários aspetos»

Recentemente coroado Desportista do Ano nos Prémios Laureus, Novak Djokovic avançou esta tarde para os quartos-de-final do Masters 1000 de Monte-Carlo com uma vitória em duas partidas. O jogador sérvio seguiu as passadas de Rafael Nadal e de Gael Monfils, que surpreendeu tudo e todos ao afastar do torneio Roger Federer, derrotando o suíço pela segunda vez consecutiva.

Foi com os parciais de 6-4 e 6-0 que Novak Djokovic, campeão da prova em 2013, eliminou esta tarde Andreas Haider-Maurer. O número um do mundo apresentou um nível de jogo com alguns altos e baixos durante a primeira partida mas não perdoou durante a segunda, resultando numa prestação com 16 winners e 9 erros não forçados ao longo de 56 minutos. O seu próximo adversário, Marin Cilic, eliminou Jo-Wilfried Tsonga por 6-3 e 7-6(5) em 1h26.

Rafael Nadal teve de suar bastante mais para passar por cima do gigante John Isner, terminando o duelo com o resultado de 7-6(8), 4-6 e 6-3. Depois de vencer dois set points no primeiro set, o maiorquino teve ainda três break points para servir para o fecho da partida a 4-3, mas perdeu os três jogos seguintes, o que resultou na disputa do vencedor na terceira partida.

“A minha mentalidade no terceiro set foi bastante positiva”, confessou o oito vezes campeão, “o jogo, o nível de ténis, melhorou bastante no terceiro set quando comparado aos dois anteriores. Isso foi bastante importante para mim e estou contente por estar nos quartos-de-final”.

Por um lugar no top-4 da prova monegasca, Nadal vai medir forças com David Ferrer pela quinta vez no torneio, sendo que o atual sétimo classificado da hierarquia venceu o último dos encontros, na temporada passada. Ferrer encerrou hoje a jornada com uma vitória por 6-2, 6-7(3) e 6-1 contra Gilles Simon.

Roger Federer: «Poderia ter feito melhor em vários aspetos»

O último encontro entre Roger Federer e Gael Monfils, disputado o ano passado na Taça Davis e também sobre a terra-batida, terminou com uma vitória do jogador francês em somente três partidas. Hoje, sobre o mesmo piso, o mesmo resultado voltou a repetir-se mas desta vez com os parciais de 6-4 e 7-6(5).

Federer, que nunca venceu o torneio de Monte-Carlo na sua carreira, até foi o primeiro a conseguir uma quebra de serviço e logo na primeira partida, mas venceu apenas mais um jogo desde então perante a agressividade e velocidade de LaMonf. No segundo set, as oportunidade de break foram várias para ambos os jogadores, mas um pequeno deslize no tiebreak abriu uma janela de oportunidade para o jogador francês que não seria desperdiçada. A vitória foi confirmada ao fim de 1h46.

“Poderia ter feito melhor em vários aspetos. Poderia ter servido melhor e variar um pouco mais. Houve coisas que fiz melhor e outras que não fiz tão bem, mas acho que nunca me senti confortável durante o encontro”, confessou Federer.

Esta é a primeira vez desde o torneio de Shanghai, em 2013, que Monfils marca presença nos quartos-de-final de um Masters 1000, onde vai enfrentar Grigor Dimitrov, que eliminou o campeão em título, Stan Wawrinka, por autoritários 6-1 e 6-2. Wawrinka esteve muito longe de apresentar um ténis digno de um campeão de um Grand Slam e acabou por pagar caro frente ao búlgaro.

O restante encontro vai colocar frente-a-frente Tomas Berdych (d. Roberto Bautista-Agut 7-6(7) e 6-4) e Milos Raonic (d. Tommy Robredo 6-3 3-6 6-3).

Sobre o autor
- Licenciado em Jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social, em Lisboa. Jornalista da GQ Portugal e colaborador do Bola Amarela desde novembro de 2011, pouco tempo depois de começar a seguir mais atentamente o mundo do ténis. Pretende nunca mais parar.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *