QUIZ: «Mandei o meu filho pedir um autógrafo ao Rafael Nadal»

Longe de possuir a popularidade de Nick Kyrgios ou a capacidade de criar empatia de Juan Martin del Potro, Gilles Muller revelou ser um discreto matulão com doses bem generosas de simpatia na sua bem-aventurada passagem pelo Millennium Estoril Open 2017.

Neste seu regresso a Portugal, depois da visita de há dois anos, o luxemburguês de sorriso fácil leva do nosso país uma bela série de vitórias e o título de vice-campeão, mas deixou-nos uma boa mão cheia de revelações.

Sobre o autor
- Descobriu o que era isto das raquetes apenas na adolescência, mas a química foi tanta que a paixão se mantém assolapada até hoje. Pelo meio ficou uma licenciatura em Jornalismo na Escola Superior de Educação de Viseu e um Secundário dignamente enriquecido por cadernos cujas capas ostentavam recortes de jornais de Lleyton Hewitt. Entretanto ganhou (algum) juízo, um inexplicável fascínio por esquerdas paralelas a duas mãos e um lugar no Bola Amarela. A escrever por aqui desde dezembro de 2013.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *