Federer e Djokovic protagonizam final de luxo em Indian Wells

Novak Djokovic ou Roger Federer. Será um destes jogadores que vai sair de Indian Wells com o palmarés mais pesado, depois de mediram forças no derradeiro encontro do BNP Paribas Open, tal como aconteceu edição de 2014 do primeiro Masters 1000 da época. Naquele que será o 38. embate entre ambos, o suíço de 33 anos vai tentar conquistar o quinto título no deserto californiano, enquanto o sérvio vai lutar por se tornar tetracampeão em Indian Wells.

Para garantir um lugar na final, Federer produziu algum do seu melhor ténis e passou por Milos Raonic (7-5 e 6-4), que na jornada de ontem derrotou de forma impressionante Rafael Nadal pela primeira vez na sua carreira. A servir de forma muito sólida, tendo perdido apenas seis pontos durante o primeiro set, o helvético precisou de esperar pelo 12.º jogo para desmantelar o serviço do canadiano, mas voltou a fazê-lo logo a abrir a segunda partida.

Daí para a frente, Federer soltou o seu ténis e não mais saiu do comando do marcador, garantindo um lugar na final sem ter passado mais do que 90 minutos em court em qualquer encontro disputado durante toda a semana.

Djokovic à procura do 50.º título da carreira

Já à espera do jogador de 33 anos estava Novak Djokovic, que não sentiu grande resistência por parte de Andy Murray e apenas deu um ar da sua graça quando o segundo set já ia a meio, impondo-se por 6-2 e 6-3. O escocês teve um início de encontro desastroso e o número um mundial viu a oportunidade ideal para se instalar confortavelmente no fundo court, tomando o controlo dos acontecimentos.

nole

Murray ainda chegou a salvar um match point, quando servia a 5-2, tendo fechado o jogo de seguida e passado para o jogador dos Balcãs a responsabilidade de selar o encontro com o serviço do seu lado. O tricampeão do torneio não hesitou e fechou o encontro ao cabo de uma hora e 28 minutos, para aumentar para 17 os triunfos conquistados frente ao número quatro mundial, num total de 25 embates entre ambos.

“Novak não me deu nenhum ponto de graça no início de cada set e obrigou-me a cometer demasiados erros. Joguei a um nível elevado durante esta semana, hoje não comecei tão bem quanto gostaria”, analisou Murray.

O campeão em título vai lutar pelo 50.º título da carreira, 21.º Masters 1000, ao passo que Federer, ao apurar-se pela sexta vez para a final em Indian Wells, espera repetir os feitos de 2004, 2005, 2006 e 2012. Esta é a final 31,ª final em torneios Masters 1000 para Djokovic e a 40.ª para o número dois mundial, igualando Rafael Nadal no topo da lista de jogadores com mais finais em provas desta categoria na Era Open.

No confronto direto, Federer leva a melhor, tendo vencido 20 embates e cedido 17.

 

Sobre o autor
-

Descobriu o que era isto das raquetes apenas na adolescência, mas a química foi tanta que a paixão se mantém assolapada até hoje. Pelo meio ficou uma licenciatura em Jornalismo na Escola Superior de Educação de Viseu e um Secundário dignamente enriquecido por cadernos cujas capas ostentavam recortes de jornais de Lleyton Hewitt. Entretanto ganhou (algum) juízo, um inexplicável fascínio por esquerdas paralelas a duas mãos e um lugar no Bola Amarela. A escrever por aqui desde dezembro de 2013.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *