Depois da terra batida azul (ainda não desistiu dela), Tiriac tem nova ideia de loucos para revolucionar o ténis

Ion Tiriac, antigo tenista romeno e agora um dos empresários mais ricos do Mundo, não se cansa de ter ideias… diferentes. Depois de ter conseguido realizar um das edições do Mutua Madrid Open – do qual é dono – com terra batida azul, o romeno tem agora outras ideias para tornar a modalidade num espetáculo diferente.

“Se eu mandasse no ténis, aumentava o tamanho das bolas para o dobro para tornar o jogo mais lento. Preferia muito mais ver um encontro dos anos 80 entre os Nastase e o McEnroe do que atualmente ver Federer, Nadal ou Djokovic”, disparou o romeno, em entrevista ao jornal ‘El Español’.

Tiriac, que insiste em manter o seu torneio Masters 1000 em Madrid apesar “sete propostas milionárias” que tem em mão, garante ainda não ter desistido da ideia da terra batida azul. “O problema nunca foi a cor da terra, mas sim o court em si, que estava com água a mais e vários problemas. E depois houve uma série de resultados estranhos. Nadal nunca tinha perdido com o Verdasco e o Djokovic nunca tinha perdido com Tipsarevic. Mas Federer e Serena foram campeões…”

O empresário diz que as televisões adoraram a superfície. “As estações, os adeptos e os jogadores disseram todos que a bola se via muito melhor com a superfície azul. Não houve dúvidas. Espero e acredito que essa seja a cor do futuro e vou lutar por isso.”

Sobre o autor
-

Artigo escrito ou editado pela equipa de redação.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *