Thiem: «Quando entro num court de terra batida sinto-me em casa»

Dominic Thiem assegurou que já recuperou da lesão no tornozelo que o obrigou a desistir durante a terceira ronda do Masters 1000 de Indian Wells e que o obrigou a desistir de Miami. O austríaco de 24 anos espera pode competir a 100 por cento na sua fase da temporada favorita.

“O meu tornozelo está bom, diria que quase a 100 por cento. Recuperei bem, só tenho dores quando coloco mal o pé às vezes e estou pronto para jogar”, confessou o número sete do Mundo, antes de assegurar que geriu a recuperação à lesão da melhor forma possível.

Thiem admite que precisa de alguns encontros para voltar a ganhar ritmo, mas confessa que este talvez não seja o melhor torneio para isso. “Escolhi um torneio difícil para voltar. É difícil chegar aqui e dizer que venho tentar somar encontros, porque todos são difíceis desde a primeira ronda. É o primeiro grande torneio em terra batida. Não para mim, mas para muitos dos meus adversários este é o primeiro torneio em terra batida desde Roland Garros. Isso torna Monte Carlo especial. Eu estou contente por estar de volta à terra batida.”

Para Dominic, jogar em terra batida é como voltar ao habitat natural. “Para mim jogar em terra é natural. Entro num court de terra batida e sinto-me em casa. Nasci e cresci a jogar nestas condições. A pior coisa de jogar em terra batida é que ficas todo sujo. As meias, o corpo, tudo isso. Coisas boas… há muitas, pelo menos para mim.”

Sobre o autor
- Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Jornalista do Jornal Record desde 2013. Entrou no Bola Amarela em 2008 e ainda por aqui está, a escrever sobre a modalidade que verdadeiramente o apaixona.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *