Raonic e o facto de Murray ser n.º 1 sem precisar de passar por Djokovic: «A culpa é só do Nole»

Milos Raonic, derrotado nas meias-finais das ATP World Tour Finals diante de Andy Murray, no encontro à melhor de três sets mais longo da história da prova, defendeu este sábado a forma como o britânico chegou à liderança do ranking mundial, apesar de não ter defrontado nenhum tenista do top 5 mundial entre Roland Garros e esta semana.

“Não está nada mal contado nesta história. O ranking no ténis analisa o equilíbrio e os balanços. Acaba em primeiro lugar quem fez o melhor ano, independentemente de quem defrontou. Não se pode tirar mérito ao Andy por não ter derrotado o Djokovic nestes últimos meses. Acaba por ser culpa do Djokovic, porque o Murray esteve nas meias-finais e finais em todas as semanas”, confessou em conferência de imprensa no final do encontro.

O canadiano segue agora para férias e regressa à competição na primeira semana de 2017, no ATP 250 de Brisbane.

Sobre o autor
- Artigo escrito ou editado pela equipa de redação.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *