Frederico Marques: «Serviço e direita do João fizeram a diferença»

João Sousa garantiu este Domingo de Páscoa a qualificação para a segunda ronda do Masters 1000 de Monte Carlo, ao derrotar tranquilamente o alemão Florian Mayer, por 6-3 e 6-2, em 63 minutos, e no final do encontro Frederico Marques, treinador do vimaranense, era naturalmente um técnico orgulhoso.

“Um encontro muito completo do João. Mas gostava de realçar que o capítulo do serviço e direita fez a diferença. Controlou grande parte do encontro desde o fundo do campo com a direita e ocupou bem os espaços e movimentando bastante o adversário”, admitiu Marques, contente ainda com a forma como Sousa reagiu quando pressionado.

“Além disso também serviu bem em situações em que esteve por baixo (mais propriamente nos pontos de break que teve contra). Era um adversário bastante incómodo, um adversário que tem uma muito boa esquerda e gosta de quebrar o ritmo com o slice e amortie. Não gosta de se movimentar nesta superfície e foi o que tentamos realizar“, assumiu.

Sobre o autor
-

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social.
Jornalista do Jornal Record desde 2013.
Entrou no Bola Amarela em 2008 e ainda por aqui está, a escrever sobre a modalidade que verdadeiramente o apaixona.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *